Loading... (0%)

Tipo de câncer raro, Mieloma pode ser confundido com outras doenças

01 March 2020

Todos os anos, pelo menos 8 mil brasileiros são diagnosticados com a doença

Mieloma, você já ouviu falar? O Mieloma Múltiplo é um tipo de câncer raro que frequentemente é confundido com outras doenças. Atinge quase 230 mil pessoas ao redor do mundo, de acordo com a Agency for Research on Cancer (IARC), sendo mais frequente na terceira idade. No Brasil, são quase 8 mil novos casos a cada ano.

Segundo a hematologista Leila Pessoa de Melo, do SHH- Serviço de Hematologia, o Mieloma se desenvolve na medula óssea e se caracteriza pelo crescimento anormal e descontrolado de células plasmáticas, responsáveis pela produção dos anticorpos que combatem as infecções.

“Quando estas células se multiplicam desordenadamente, ao invés de ajudarem a produzir anticorpos para proteger o organismo, produzem uma proteína monoclonal que atrapalha o sistema imunológico e facilita o aparecimento de infecções, além de prejudicar o funcionamento normal da medula óssea, levando comumente ao aparecimento de anemia”, explica.

No mieloma múltiplo, ocorre frequentemente um enfraquecimento dos ossos, aparecimento de lesões líticas (orifícios que se desenvolvem quando partes dos ossos são destruídas) e, às vezes, tumores conhecidos como plasmocitomas. “O comprometimento dos ossos pode acarretar em fraturas espontâneas e compressão na medula espinhal, levando a sequelas neurológicas e dores intensas”, esclarece a médica.

A doença é mais frequente em pessoas acima de 65 anos. Os principais sinais e sintomas são fadiga, cansaço, fraqueza e palidez cutânea, causadas pela anemia; dores ósseas e nas articulações, fraturas espontâneas, emagrecimento, insuficiência renal e facilidade para desenvolver infecções. Muitas vezes, a doença pode ser confundida com problemas ortopédicos e renais.

De acordo com a Dra. Leila, o tratamento das doenças do sangue tem evoluído muito nos últimos anos por meio do desenvolvimento de novos medicamentos e da adoção de novos tratamentos. “Como em todo câncer, quanto mais rápido o diagnóstico, maiores as chances de minimizar os impactos na vida do paciente”.

Até o momento, não existem formas de prevenção para a doença. O que sempre é recomendando é procurar um médico se houver um dos sintomas acima e manter um estilo de vida saudável.

A Dra. Leila explica que o tratamento do Mieloma Múltiplo avançou significativamente nos últimos anos. “Medicamentos-alvo, anticorpos monoclonais, imunomoduladores, usados de forma combinada ou não, além do Transplante de Medula Óssea para pacientes mais jovens (abaixo de 70 anos), contribuem para o controle da doença, além de proporcionar qualidade de vida e aumento da sobrevida dos pacientes.

 

Assessoria de Imprensa